sábado, 1 de julho de 2017

CIRANDAR COM A CAPPAZ



Cem cirandas estamos completando
Nesse mês que traz muitas alegrias
É São João todos estão cirandando
Brincando com paz e com harmonia.


Os poetas são como belas borboletas
Que com seus versos ficam a bailar
Fazendo piruetas sobre as violetas
Conseguem as cirandas espalhar.

Vamos cirandar fazendo oração
Pra que haja tempo de fraternidade
E vermos na face de cada irmão
A tão desejada felicidade.

De mãos dadas vamos nós cirandar
Construir um novo mundo com poesia
Pra que possamos justiça alcançar
Mudando nos corações a energia.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 24/06/2017

 Fiz esse poema para a Confraria Artistas e Poetas Pela Paz (CAPPAZ),  que completou cem Cirandas, da qual faço parte.

TEMPOS DE OUTRORA


Quão belos eram os tempos de outrora
Fazem-me reviver a calmaria
Do meu rincão sem os medos de agora
Onde transcrevo em forma de poesia.

Saudades da infância com seus sabores,
Da casa, da família, dos amigos,
Da rua tranqüila e dos jardins em flores
É como não existissem os perigos.

Que o sino da igreja continue a tocar
Compondo, assim, uma nova história
Para que a paz e o amor possam reinar
São registros que guardo na memória.

Oh, minha alma não fique aprisionada
Deixo a porta aberta para que voe
Encontre a fraternidade almejada
E canções de esperanças você entoe.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 21/06/2017

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

ALMA DE MULHER


Momento do lançamento do livro "Mãos Poéticas" da poetisa catoleense Celina Maria de Menezes (Dona Santa), tia de Petronilo Filho, na cidade paraibana de Catolé do Rocha. Em sua homenagem compus este singelo poema.Vale ressaltar que a poetisa em maio completará 90 anos. De uma memória invejável, recita muitos dos seus poemas, sem precisar do papel.


ALMA DE MULHER

O tecer dos versos por inspiração
Nasce da alma de uma mulher sensível
Que traz no seu sublime coração
As pegadas de um mundo tangível.

Cada sonho, emoção e sentimento
São transformados em bela poesia
Embalada pela força do vento
Com sensibilidade e magia.

No peito guarda diversas lembranças
Que se achegam com gosto de saudade
Mas segue a jornada com esperança
De ter cumprido sua missão de verdade.

Mulher, Mãe, companheira e educadora
Deixa seu legado como memória
Não mediu esforços de buscadora
Para junto aos seus construir sua história.

Neneca Barbosa
Catolé do Rocha, 14/01/2017

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

TELA IMAGINÁRIA





Pintei n’alma uma tela com beleza
Que tem a cor laranja do arrebol
Meus olhos são portais da Natureza
Deleitam-se com o nascer do sol.

No ar uma música vibra em harmonia
Adornando com sons bem afinados
O meu coração em plena sintonia
Sente saudades dos anos dourados.

A chama que trago dentro do peito
Faz despertar a verve da poesia
E os doces poemas que embalo no leito.

São fios da teia do espaço sideral
Que cuido com amor, paz e alegria
Para que a colheita seja especial.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 23/12/2016

sábado, 17 de dezembro de 2016

CORDEL


O MEU NOME ATÉ PARECE
BRINCADEIRA DE CRIANÇA

Nasci no Jenipapeiro
Uma flor de formosura
Cresci com muita ternura
Fui das rosas jardineiro
O bugari com seu cheiro
Ainda trago na lembrança
Sinto surgir a esperança
Quando o amor se estabelece
O meu nome até parece
Brincadeira de criança.

Falo do meu personagem
Que apelidaram Neneca
Mais parece com boneca
E seguiu pela romagem
Gostei dessa homenagem
Que Iracy fez como aliança
Com um gesto de confiança
Nosso amor se fortalece
O meu nome até parece
Brincadeira de criança.

Neneca Barbosa
11/11/2016

P.S.Iracy, minha irmã, um ano mais velha do que eu.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

MENINA SONHADORA


Fitando as estrelas no céu sinto saudade
De um sonho que vivi com tanta intensidade
Cenas ficaram gravadas em minha mente
Mas, ao acordar vi outra realidade presente.


Foi como um fugaz pouso de uma borboleta
Que beija a flor e rufla suas asas sem meta
Em liberdade voa por sobre os arvoredos
Levando com ela meu sonho, meus segredos.

Minha alma de poeta volta à imaginação
Procurando nos versos harmonização
Aceitando os desafios postos no caminho
Cortando arestas e podando cada espinho.

Ajuda-me Senhor, ver o outro com doçura
Imanta meu coração de grande ternura
Desejo continuar sendo uma buscadora
Com alma de jovem menina sonhadora.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 30/11/2016

domingo, 20 de novembro de 2016

CANTINHO DE PAZ





Fiz à margem do caminho
Uma singela casinha
Para cuidar com carinho
Daquele doce cantinho
Nele me sinto rainha.

Um ninho feito de amor
Que pulsa no coração
Encanto, paz e calor
Sinto o perfume da flor
Naquele belo rincão.

Aves cantam sinfonia
Com a chegada do sol
Eu fico a fazer poesia
Na rede sinto a alegria
De ver no céu o arrebol.

Borboletas no jardim
Sugam o néctar das flores
Elas beijam o jasmim
Alegres fazem festim
Mas, todas são seus amores.

A brisa chega com o vento
Trazendo você pra mim
É um especial momento
Feliz, tenho seu acalento
Posso abraçar-lhe enfim.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 21/11/2016