sábado, 22 de janeiro de 2011

TRANSIÇÃO PLANETÁRIA


Abrindo a porta da nossa casa planetária
Vamos receber a luz da espiritualidade
Lapidar nosso espírito na luta diária
Renascendo como fênix da obscuridade.

A Terra encontra-se em fase de transição
No grande barco, Jesus é nosso timoneiro
É preciso perseverança na renovação
Para nos tornarmos singelos carpinteiros.

Construir com beleza nossas habitações
Plantando as flores da paz e solidariedade
Ornamentando com os belos caramanchões
Nossas almas que vibrarão de felicidade.

Apurar a sensibilidade da intuição
Para conquistar a maturidade espiritual
Que fala serenamente ao nosso coração.
Pelo profundo conhecimento divinal.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 22/01/2011.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

MEU FLAMBOYANT



Meu belo Flamboyant quanta saudade!
Recordo-me do seu porte frondoso
Acolhendo por ser tão generoso
Pássaros que cantam sua liberdade.

Sentada na varanda da casinha
Via sua cor vermelha pintar o céu
Estendendo-se como um grande véu
Esperando a chegada da noitinha.

Quando a lua despontava luminosa
Feliz, cantarolava uma canção
Grata por ter você no meu rincão
Presente da Natureza bondosa.

Foi palco dos sonhos da juventude
Recordações repletas de emoções
Testemunha das ardentes paixões
Coração em estado de plenitude.

Hoje, quando vejo um dos seus irmãos
Reaviva na memória seus encantos
Espalhando beleza pelos cantos
No verão, flores caem em minhas mãos.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 21/01/2011

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

DISCIPLINANDO A MENTE


A mente deve ser disciplinada
Cuidar com sutileza dos momentos
Que vão desabrochar os pensamentos
É terra que precisa ser arada.

Requer mudança comportamental
Se no peito aflorar bons sentimentos
Que foram esquecidos pelo tempo
Chegando de uma forma especial.

Com disciplina a mente é renovada
Pelas ações que são edificantes
E que pelo buril foram talhadas.

Procura controlar as emoções
Deixando o coração exuberante
Ciente, dar adeus as ilusões.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 20/01/2011

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

O VALOR DAS PEQUENAS COISAS


Nas minhas reflexões pude compreender
Que as coisas pequenas têm seu valor
Para a minh’alma que deseja ser
Um elo divino com o Criador.

Sei que é preciso ter muita humildade
Para aceitar cada um com seus defeitos
Sendo renovada a humanidade
Todos respeitarão os seus direitos.

Nas pequenas coisas se encontra o amor
Espalhado por todos os recantos
Desenhado na beleza da flor
No pássaro com seu mavioso canto.

O som do clarim está ecoando no ar
Chamando pra  responsabilidade
De por as mãos na charrua e lutar
Pela tão almejada felicidade.

Sendo o egoísmo banido do mundo
No coração é plantado o perdão
Então nascerá o amor mais profundo
Deixado pelo Mestre em sua missão.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 14/01/2011

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

CANTEIRO DE ROSAS


No silêncio da noite vou pintando
No coração uma colorida tela
Garbosas rosas que vão despertando
Qual sol que nasce numa manhã bela.

Jardineiro do meu próprio canteiro
Cada roseira cuido com carinho
Podo os espinhos que teimam lanceiros
Ferir a minh’alma que busca um ninho.

Quando ao longe escuto uma melodia
Solfejada nas notas da poesia
Minhas rosas começam a bailar

Com a leveza de uma bailarina.
Alegre, volto ao tempo de menina
Ah! Solto a voz e começo a cantar.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 12/01/2011