terça-feira, 20 de dezembro de 2011

ALQUIMIA DO AMOR



Abro a porta e reverencio a beleza da Vida
Inalo suavemente o perfume de uma flor
Consigo transmutá-la na alquimia do amor
Deixando minha jornada bem mais colorida.

Vejo nos ares beija-flores e borboletas
Saltitando suavemente por todo o jardim
Ao toque da música maviosa de um flautim
Sinto toda a sensibilidade das violetas.

Minha alma se enleva nesta profunda magia
Escuto o cantar dos pássaros ao alvorecer
Depois da tempestade vejo o arco-íris nascer
Renovando meus sonhos contidos na poesia.

O amor é chama viva que aquece como sol
Gota de orvalho que fecunda meu coração
Equilíbrio que permeia o caminho da evolução
Transformando meu bem viver num belo arrebol.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 20/12/2011

sábado, 17 de dezembro de 2011

MEU BARQUINHO DE PAPEL


Desceu pelas correntezas da vida
O meu frágil barquinho de papel
Levou com ele minha despedida
Em versos colocados num farnel.

Lá do céu uma estrela luminosa
Assistia meu barquinho desfilar
Todo enfeitado com fitas formosas
Feliz, foi recebido pelo mar.

Aventureiro, porém destemido
Sobre as ondas veleja solitário
Seu caminhar é sempre protegido
A luz do luar pinta um belo cenário.

Quiçá, aporte numa ilha deserta
Não tema! Vai encontrar a esperança
As estrelas irão ser sua coberta
Guarde consigo meus sonhos de criança.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 17/12/2011

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

CONFRATERNIZAÇÃO DE NATAL



Vamos dar as mãos pra nossa confraternização
Sentir em cada ser humano um verdadeiro irmão.

Natal é época de renovação e de esperança
Unidos vamos alcançar um tempo de bonança.

Fazer uma grande festa para o aniversariante
Jesus veio ao mundo trazendo sua luz radiante.

Aqueçamos todos, nos braços da fraternidade
Viver cada experiência com muita dignidade.

Que não falte o pão na mesa dos menos protegidos
Pela justiça terrena às vezes esquecidos.

Lembremos das crianças que na noite pernoitam
No Natal, recebem apenas, os ventos que açoitam.

Ao ouvirmos o repicar dos sinos na capelinha
Agradeçamos a Jesus, nossa grande estrelinha.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 16/12/2011

domingo, 11 de dezembro de 2011

TRIBUTO A CHICO XAVIER



Viveu dignamente sua encarnação
O querido médium Chico Xavier
Cumprindo com muito amor sua missão
Semeou no Brasil seu nobre saber
A humildade foi sua grande lição.

Foi submetido às provas do caminho
Para ascender seu espírito imortal
Compreendia que não estava sozinho
Consciente do seu verdadeiro ideal
Abraçava seus irmãos com carinho.

Como espírito de escol foi escolhido
Para a propagação do Espiritismo
Seu trabalho espiritual foi seguido
Com amor, disciplina e dinamismo
Exerceu o sacerdócio recebido.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 11/12/2011

NATAL SOLIDÁRIO



Uma grande estrela brilhou no céu
Anunciando a chegada de um menino
Trazendo a missão de rasgar o véu
Da ignorância das leis do divino.

Mas a humanidade não despertou
Com as lições preciosas da Boa Nova
Pois através de Jesus, Deus enviou
Para superar com fé cada prova.

Que o Natal seja de renovação
Com o esplendor de um belo alvorecer
Alimentar com luz o coração
Permitir um novo homem renascer.

Hinos de glória caiam sobre o Planeta
Pra que haja paz e solidariedade
Ao longe ouvir o clarim da corneta
Conclamando para a fraternidade.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 11/12/2011

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

LIVRE-ARBÍTRIO



As escolhas fazem parte da Vida
Há o tempo de semear e de colher
Somos livres pra bem ou mal viver
O amor é nosso ponto de partida.

Cuidar com carinho da sementeira
Extirpando todas ervas daninhas
Pra sermos bons operários das vinhas
Livrando-nos de tão torpe cegueira.

Ter livre-arbítrio é fundamental
Pra as atitudes do nosso dia a dia
Convivermos com a mente sadia
Construindo metas de um Ser integral.

Buscar no bem a nossa liberdade
Unindo sentimentos com razão
Poder sair deste mundo de ilusão
E agirmos com responsabilidade.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 04/08/2011

terça-feira, 2 de agosto de 2011

BANHO DE CHUVA



Relembro saudosa dos tempos idos
Por serem da memória tão queridos
Dos banhos de chuva lá na biqueira
Da velha casa, minha companheira.

Sentia no corpo os pingos deslizando
As incertezas eles iam lavando
Saboreava feliz cada emoção
A chuva também é renovação.

Depois que cessava sua melodia
Um lindo arco-íris no céu aparecia
Pintei uma tela no meu imaginário
Ao passar voando um belo canário.

Recordo o cheiro da terra molhada
O verde do mato seguindo a estrada
Dando vida nova à Mãe Natureza
Que generosa doa-se com nobreza.

Cortejava as belas flores dos campos,
Que serviam de pouso pra os pirilampos,
As suas diversas cores encantavam
As manhãs que mais bonitas ficavam.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 02/08/2011

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

ELOS DE AMOR



O amor é um dos sublimes sentimentos
Onde seus elos servem de alimento
Para que haja o reencontro de duas almas
Que felizes bailam nas manhãs calmas.

Descobrem-se pela lei da atração
Aflora a saudade no coração
No ar sentem o perfume do jasmim
Plantado com desvelo no jardim.

Assim como os metais há uma fusão
Das emoções em grande profusão
Onde se dá verdadeira alquimia
Deixando suas vidas em harmonia.

São elos de amor da chama divina
Qual a luz do sol que se descortina
Com seus raios luminosos no horizonte
Que refletem na água pura da fonte.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 01/08/2011

quinta-feira, 28 de julho de 2011

TEMOR DA MORTE



A morte é temida pelo ser humano
Por não recordar a sua vida no astral
Nele vai continuar o seu aprendizado
Para depois voltar ao mundo carnal
Onde novo roteiro será executado.

A morte é uma realidade absoluta
Contida nas sábias leis universais
Servindo para o espírito trabalhar
Recebendo do Criador muitos sinais
Para a evolução conseguir alcançar.

De aparência triste chega sorrateira
Faz-se necessário viver preparado
Para a chegada da inefável passagem
Que não conhecendo seu tempo marcado
O homem é surpreendido para sua viagem.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 28/07/2011

quarta-feira, 27 de julho de 2011

ALÉM DO HORIZONTE



Sentada num tablado por sobre um canal
Vejo descortinando-se um verde arrozal
Assisto ao belo pôr-do-sol com emoção
Seus raios dourados cobrem a vegetação.

Absorta nos meus pensamentos mergulho
Envolvida por saudável brisa viajo
Querendo encontrar bem além do horizonte
Sonhos de amor que me servirão como ponte.

Uno cada fio da teia com intensidade
Qual pássaro livre conquisto a liberdade
Para resgatar o passado com confiança
Cultivar no presente a sublime esperança.

Assim ascenderei a luz dentro do meu Ser
Pra que no caminho possa transparecer
No corpo espiritual a luminosidade
Que se expandirá por toda uma eternidade.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 27/07/2011


terça-feira, 19 de julho de 2011

A JANELA DO POETA



Feliz, abre o poeta sua janela,
Para contemplar bela paisagem
Ao longe ouve o sino da capela
Pássaros cantam sobre a ramagem.

A natureza é sua inspiração
Flui com intensidade a poesia
Não sente o peso da solidão
Porque carrega n’alma a alegria.

Seguro joga fora as quimeras
Seus sonhos divisa no horizonte
Vê no jardim encantadas heras
Que refletem nas águas da fonte.

À tarde contempla o pôr-do-sol
Na lira toca uma melodia
Admira a beleza do arrebol
Sentindo no corpo sua energia.

No céu fita as estrelas piscando
Aguarda também a luz do luar
Na mente uma tela vai pintando
Consegue a imaginação soltar.

Dentro de si nasce uma verdade
Conquistar o verdadeiro amor
Onde conseguirá a liberdade
Matando o egoísmo com rigor.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 19/07/2011

quinta-feira, 14 de julho de 2011

MUDANÇAS INTERNAS



Através dos milênios vem a Humanidade
Percorrendo seus caminhos na evolução
Em nenhum momento ficou na orfandade
Por receber do Deus divino sua benção.

Vivendo mergulhada na grande cegueira
Cultivando apenas valores materiais
Embotou na mente a tortura da fogueira
Deixando pra trás valores espirituais.

No íntimo d’ alma sente a falta do amor
Por não querer construir a paz em sua morada
Trava uma luta com o seu mundo interior
Tem conscientemente cada cena gravada.

É chegada a hora das mudanças internas
Para o equilíbrio no Planeta florescer
O homem não vive mais jungido às cavernas
Precisa reconhecer qual o seu dever.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 14/07/2011

quarta-feira, 22 de junho de 2011

SEJA UM AUTO-OBSERVADOR


No exercício diário da meditação
Desenvolveremos a sensibilidade
Aguçando os sentidos com intensidade
Deixando eclodir a divina inspiração.

Que sejamos verdadeiros observadores
Da multiplicidade dos comportamentos
Não embotando no coração bons sentimentos
Conquistará nossa alma sublimes valores.

Sabendo do desempenho da nossa mente
Que fabrica máscaras com criatividade
Trabalhemos para que a originalidade,
Da fagulha interior torne-se plenamente.

Que nossas mensagens sejam para o leitor
Belas melodias de amor e contentamento
Que servirão de antídoto pra o sofrimento
Da humanidade que vive no desamor.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 22/06/2011

domingo, 19 de junho de 2011

CONFIA E SEGUE



No turbilhão da vida, segue adiante
Trabalhe com amor, seja confiante
Prepare com fé um terreno fecundo
Pra que a Paz, seja a redenção do mundo.

A existência na Terra é temporária
A luta do conhecer-se é diária
Segure na charrua e não desanime
A sementeira divina é sublime.

Dedilhe a lira com sons harmoniosos
Transformando-os em fachos luminosos
Amainando no seu irmão os sofrimentos
Elevando na prece os pensamentos.

Caminhe pelas trilhas do universo,
Na energia cósmica ficará imerso
Cultive na alma o sincero perdão
E as quimeras, as águas levarão.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 19/06/2011

quarta-feira, 15 de junho de 2011

PEDRA BRUTA


Como pedra bruta preciso do cinzel do escultor
Para as arestas do meu espírito poder lapidar
Lançar em terreno fértil as sementes de fé e amor
Contidas nas lições do Cristo para a alma renovar.

Combater os vícios e restaurar enfermidades
Com esmero espelhar-me nas virtudes edificantes
Ultrapassando com coragem as adversidades
Deixando-me iluminar pelas estrelas cintilantes.

Ter como meta polir a pedra bruta com firmeza
Para amenizar as marcas deixadas pelo caminho
Construindo com base sólida uma grande fortaleza
Cuidarei das minhas rosas aparando cada espinho.

O trabalho será árduo para me tornar boa artesã
Descobrir na grandeza do silêncio o conhecimento
Que me levará a buscar a verdade em cada manhã
Abrindo na minha mente a porta para o entendimento.

Neneca Barbosa
João Pessoa,15/06/2011

sexta-feira, 10 de junho de 2011

JANELA DO CORAÇÂO



Debruçada na sacada, fito o firmamento
A saudade invade meu ser naquele momento
O sol já brilhava no céu com intensidade
Cobrindo o jardim com a sua luminosidade.

Vejo as rosas em multicores desabrochando
Nelas, abelhas, beija-flores se alimentando
Sinto o florescer da Vida de cada estação
Abro sorrindo a janela do meu coração.

Deixo a luz me invadir, para afastar a tristeza
Na vidraça da minha alma faço uma limpeza
Mergulho nos meus sonhos, doce companhia!
Faculto-me ao prazer de tê-los na travessia.

Quero cultivar o amor em forma de canção
Na jornada como aprendiz vou espalhar o pão
Seguir a estrela guia que me conduz à esperança
De continuar a caminhada com segurança.

Neneca Barbosa,
João Pessoa, 10/06/2011

quinta-feira, 9 de junho de 2011

O CAMINHAR DO POETA


Vai o poeta caminhando, sem ter direção
É livre. Sai declamando cada emoção
Seus versos tornam-se música magistral
Vêm por inspiração da essência divinal.

Olha para o céu, tem do piloto a coragem
Deposita os sentimentos em sua bagagem
Navega pelos mares, não teme a tempestade
Rompe fronteiras com muita serenidade.

É gigantesco seu universo inspirador
Sua alma é imantada pelo perfume da flor
Carinhosamente constrói cada poesia
Com a simetria de uma bela melodia.

O poeta canta em seus poemas a liberdade
Deixa florescer no coração a humildade
No seu castelo interior cintila a esperança
Encanta-se com tudo, como uma criança.

Viajante, vive seus sonhos pelas andanças
Solitário, traz na memória suas lembranças
À noitinha em silêncio a cabeça reclina
Acorda com o brilho do sol da matina.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 09/06/2011

terça-feira, 31 de maio de 2011

BAÚ DAS LEMBRANÇAS


Abro com saudade o baú das lembranças
Mergulho sem medo, no tempo de criança
Mundo de fantasia e sonhos fascinantes
Brincava feliz com passos saltitantes.

Lembro-me da minha boneca de pano
Que estava presente no meu cotidiano
Aconchegava no peito com carinho
Cantava para ela pegar no soninho.

De mansinho chega na minha memória
A presença dos ciganos com sua história
Pedindo ao meu Pai, arrego por poucos dias
Povo livre de grande sabedoria.

No vasto pátio da casa erguiam suas tendas
Os seus causos para mim pareciam lendas
Juntava-me as suas crianças para brincar
Com a vida do sítio volto a sonhar.

Recordo também da minha juventude
Repleta de energia, vigor e inquietude
Os sentimentos eram intensamente
Vividos de maneira tão transparente.

Tudo palpitante, novas experiências,
Entre todas elas havia as preferências,
Já na cidade podendo desfrutar
O que lá no sítio não podia ofertar.

Circo, parque de diversões e cinema
Emoções que transcrevo neste poema.
O passeio na praça também tão divertido!
Onde um relacionamento era escolhido.

No percurso meu companheiro encontrei
Pelas veredas íngremes caminhei
Vi no jardim do lar os botões nascendo
No afago dos meus braços foram crescendo.

Assim eu vou seguindo na caminhada
Enfrentando muitas provas na jornada
Deixando brotar no coração o amor
Onde nos meus versos procuro transpor.

Neneca Barbosa
João pessoa, 31/05/2011

quinta-feira, 26 de maio de 2011

O FLORESCER DE UMA FLOR


Olhando o florescer de uma flor
Quer seja no campo ou no jardim
Não necessita ser um jasmim
Pra o seu sensível observador.

Seu pólen voa nas asas do vento
Nos frágeis bicos dos passarinhos
Que vão semeando pelos caminhos
Dando a paisagem novo ornamento.

Com a sua sublime exuberância
Vê o sutil balé das borboletas
Exibindo suas belas silhuetas
Envolvidas pela sua fragrância

Ah! Se todos sentissem o amor
O mundo seria bem diferente
A alma se tornava mais consciente
E entenderia a beleza da flor.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 26/05/2011

sábado, 30 de abril de 2011

O SERTANEJO



O sertanejo vai desbravando
Com muita coragem o sertão
Pelas suas trilhas segue cantando
Montado faceiro em seu alazão.

A caatinga é também sua morada
Conhece bem aquele torrão
Onde seguro campeia a boiada
Protegido pelo seu gibão.

De uma popular sabedoria
No Criador deposita confiança
Os raios do sol fazem companhia
No coração cultiva a esperança.

É forte como o mandacaru
Que resiste a seca com bravura
É destemido como um bambu
Carrega n' alma grande ternura.

Encontra desafios no caminho
Que supera por ser lutador
À noite volta pra seu ranchinho
Construído com carinho e amor.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 30/04/2011

sexta-feira, 29 de abril de 2011

O PERFUME DO SEU AMOR


Dos versos deste poema fiz uma canção
Sonoras notas tocaram meu coração
Minh' alma foi tomada por fugaz torpor
Pressenti no ar, sutil perfume do seu amor.

Ele é como o florescer de uma bela flor
Que vem banhada pelo sol com seu vigor
É a luz das estrelas a guiar o meu caminho
É a cândida ternura que afaga meu ninho.

Seu perfume me embala com a voz do vento
Inebria meu corpo servindo de acalento
Ao fechar os olhos sinto-me acariciada
Tal qual a areia, que pelas ondas é beijada.

Seu frescor tem doce fragrância da magia
Culminando com a beleza da poesia
Do orvalho são gotículas a me envolver
Nas encantadas manhãs que vejo nascer.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 29/04/2011

sábado, 9 de abril de 2011

ACRÓSTICO - CAROLINA (NETA)



C riança especial que
A ma e é amada
R evela no olhar
O amor que lhe envolve
L uz terna de uma estrela
I manta todos com seu sorriso
N ão sendo preciso as palavras
A nte a fortaleza de uma guerreira.

Vovó Neneca Barbosa
30//11/08

ACRÓSTICO - MILENA (NETA)



MILENA

M ilena nasceu
I rradiando amor
L uz que acendeu
E manando calor
N o seu lar vai florescer
A flor que veremos crescer.

Vovó Neneca Barbosa
Recife, 04/04/2011

quarta-feira, 30 de março de 2011

HAIKAI



O outono chegou
Formando belo tapete
Cobrindo minh' alma.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 25/03/2011

HAIKAI




A folhagem cai
Nas manhãs belas de outono
Há renovação.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 28/03/2011

HAIKAI



Lua bela no céu
Fascinante com seu olhar
Desperta meus sonhos.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 21/03/2011

sexta-feira, 11 de março de 2011

NO ALTO DA MONTANHA


Sentindo-me leve como uma pluma
Alço vôos até ao cume da montanha
Sob o céu claro sem nenhuma bruma
Fico feliz pela minha façanha.

Maravilho-me com uma choupana
Desgastada por vendavais da Vida
Serviu-me de abrigo a velha cabana
Onde humildemente fui acolhida.

A noite veio com minha solidão
Senti as estrelas mais perto de mim
Vi-me diante daquela imensidão
Desejei a visita de um querubim.

Entregue aos meus pensamentos dormi
Pela brisa do vento fui beijada
Sem medos, a liberdade senti
Por uma bela manhã fui acordada.

Meu corpo foi coberto pelo sol
Que afagou com leveza minha fronte
Desperta, ouvi o trinar de um rouxinol
Levantei e fui banhar-me numa fonte.

Em prece agradeci pelos momentos
De sonhar com uma nova aventura
Nutrindo de prazer meus sentimentos
Na tela mental fiz uma pintura.

Neneca Barbosa
11/03/2011

domingo, 20 de fevereiro de 2011

TAPETE VERDINHO ( RONDEL)


A chuva chega ao meu sertão
Formando um tapete verdinho
Embelezando meu cantinho
Dando-me uma grande lição.

Que Deus cuida de cada ninho
Existente em sua Criação
A chuva chega ao meu sertão
Formando um tapete verdinho.

No peito explodiu a emoção
Chegando como um torvelinho
Sentindo enorme sensação
Como inebriada pelo vinho
A chuva chega ao meu sertão.


Neneca Barbosa
20/02/2011

sábado, 12 de fevereiro de 2011

SONHO REALIZADO


Sonhos fazem parte da minha vida,
Uns realizei, outros não consegui
Pela luta do dia-a-dia que vivi,
Porém, jamais me darei por vencida.

Fui sempre ávida do conhecimento
Para incorporar ao meu aprendizado
Que vem comigo de um longo passado
Servindo pra minha alma de alimento.

Nunca é tarde pra os sonhos realizar,
Um deles, entrar numa faculdade
Hoje, já estando na maturidade
No vestibular consegui passar.

Vitória que alegrou meu coração
Novas experiências vão surgir
Sentir no peito cada emoção fluir
Voar, e dar asas a imaginação.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 11/02/2011

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

CONCERTO DOS PÁSSAROS


Numa bela manhã, de inverno no sertão,
Acordo com os pássaros em sinfonia
Ouço um concerto de verdadeira harmonia
Que meu coração alvoroçou de emoção.

Eles voam em bando por sobre os arvoredos
Fazem nas árvores seus delicados ninhos
Que servem de esconderijos entre espinhos
Para gerarem as novas vidas sem medos.

Livres, alçam vôos pela imensidão dos céus
Mostrando ao homem que é possível ser feliz
Sem destruir a natureza, seiva motriz,
Tirando-o da ignorância e rasgando os véus.

Momentos como estes ficam eternizados
Gravados em minhas memoráveis lembranças
Que me acompanham desde os tempos de criança
Desejando com carinho serem guardados.

Neneca Barbosa
João Pessoa,08/02/2011

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

OTIMISMO


Ando refletindo sobre o otimismo
Navegando pelo um rio caudaloso
Cheio de experiência de idealismo
Que guiará meu futuro laborioso.

Mesmo diante de tantas adversidades
Devo ter a coragem do carvalho
Que enfrenta com firmeza as tempestades
Dando-me força para o meu trabalho.

Ser persistente e ter habilidade
Pra vencer os percalços do caminho.
Meus sonhos serão minha prioridade
Onde cuidarei com todo carinho.

Voando como águia pelas alturas
Com paciência romperei as fronteiras
Livrando-me das velhas armaduras
Que fazem da minh’alma prisioneira.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 07/02/2011

domingo, 6 de fevereiro de 2011

O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA


Quando o ser humano fecha o seu interior
Fugindo das suas responsabilidades
Nasce o egoísmo que se faz condutor
De gerar em sua alma a intranqüilidade.

Trilha muitas vezes a rota da dor
Sob o sol causticante queimam seus pés,
Por não aprender que somente o amor
Livrará sua vida de cada revés.

A morte do ego torna-se necessário
Para o despertamento da consciência
Que se realiza com o trabalho diário
Conquistado por cada experiência.

Sempre vigilante na auto-observação
Para as barreiras internas derrubar
Vai disciplinando sua concentração
Atos que no dia-a-dia vão desabrochar.

Somente através da auto-educação
Esmera sua luta com boa vontade
Fantasmas psicológicos cessarão
Enfim, ele encontrará a felicidade.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 06/02/2011

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

LEMBRANÇAS JUVENIS



Saudade dos bons tempos juvenis
Com o frescor das tardes primaveris
Passeando na praça de mãos dadas
Onde juras de amor eram seladas.

O bailado das flores nos saudava
Com o som de uma canção que embalava
Sonhos em forma de belos botões
Feliz juventude, cheia de emoções.

No coração a paixão eclodia
Tal a explosão ardente da poesia
Que faz a alma do poeta vibrar
Fitando a luz flamejante do luar.

Ah, como o tempo se faz mensageiro!
Desses encantamentos passageiros
Com o despertar da maturidade
Novos momentos surgem com suavidade.


Neneca Barbosa,
João Pessoa, 01/02/2011

HOMENAGEM AO CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DO MEU PAI (IN MEMORIAN) 27/01/2011




Pai, comemoramos o centenário
Pelo seu nascimento especial.
Foram gravados em nosso relicário
Valores que perpetuarão no astral.

Deu-nos lições de sua honestidade
Que acompanharam nossos caminhos
Ensinou-nos a solidariedade
De amparar o próximo com carinho.

Praticava a responsabilidade
Desde as primeiras horas da aurora
Seu intenso caráter de dignidade
Serviram de base aos tempos de outrora.

A sua sabedoria nos encantava
Sabia usar a razão e o coração
Pros desafios que na vida encontrava
Onde seu bom senso era a solução.

Hoje estamos felizes com seu amor
Que em nossos espíritos foi esculpido
Ficando a saudade em nosso interior
De cada momento que foi vivido.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 27/01/2011

sábado, 22 de janeiro de 2011

TRANSIÇÃO PLANETÁRIA


Abrindo a porta da nossa casa planetária
Vamos receber a luz da espiritualidade
Lapidar nosso espírito na luta diária
Renascendo como fênix da obscuridade.

A Terra encontra-se em fase de transição
No grande barco, Jesus é nosso timoneiro
É preciso perseverança na renovação
Para nos tornarmos singelos carpinteiros.

Construir com beleza nossas habitações
Plantando as flores da paz e solidariedade
Ornamentando com os belos caramanchões
Nossas almas que vibrarão de felicidade.

Apurar a sensibilidade da intuição
Para conquistar a maturidade espiritual
Que fala serenamente ao nosso coração.
Pelo profundo conhecimento divinal.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 22/01/2011.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

MEU FLAMBOYANT



Meu belo Flamboyant quanta saudade!
Recordo-me do seu porte frondoso
Acolhendo por ser tão generoso
Pássaros que cantam sua liberdade.

Sentada na varanda da casinha
Via sua cor vermelha pintar o céu
Estendendo-se como um grande véu
Esperando a chegada da noitinha.

Quando a lua despontava luminosa
Feliz, cantarolava uma canção
Grata por ter você no meu rincão
Presente da Natureza bondosa.

Foi palco dos sonhos da juventude
Recordações repletas de emoções
Testemunha das ardentes paixões
Coração em estado de plenitude.

Hoje, quando vejo um dos seus irmãos
Reaviva na memória seus encantos
Espalhando beleza pelos cantos
No verão, flores caem em minhas mãos.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 21/01/2011

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

DISCIPLINANDO A MENTE


A mente deve ser disciplinada
Cuidar com sutileza dos momentos
Que vão desabrochar os pensamentos
É terra que precisa ser arada.

Requer mudança comportamental
Se no peito aflorar bons sentimentos
Que foram esquecidos pelo tempo
Chegando de uma forma especial.

Com disciplina a mente é renovada
Pelas ações que são edificantes
E que pelo buril foram talhadas.

Procura controlar as emoções
Deixando o coração exuberante
Ciente, dar adeus as ilusões.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 20/01/2011

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

O VALOR DAS PEQUENAS COISAS


Nas minhas reflexões pude compreender
Que as coisas pequenas têm seu valor
Para a minh’alma que deseja ser
Um elo divino com o Criador.

Sei que é preciso ter muita humildade
Para aceitar cada um com seus defeitos
Sendo renovada a humanidade
Todos respeitarão os seus direitos.

Nas pequenas coisas se encontra o amor
Espalhado por todos os recantos
Desenhado na beleza da flor
No pássaro com seu mavioso canto.

O som do clarim está ecoando no ar
Chamando pra  responsabilidade
De por as mãos na charrua e lutar
Pela tão almejada felicidade.

Sendo o egoísmo banido do mundo
No coração é plantado o perdão
Então nascerá o amor mais profundo
Deixado pelo Mestre em sua missão.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 14/01/2011

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

CANTEIRO DE ROSAS


No silêncio da noite vou pintando
No coração uma colorida tela
Garbosas rosas que vão despertando
Qual sol que nasce numa manhã bela.

Jardineiro do meu próprio canteiro
Cada roseira cuido com carinho
Podo os espinhos que teimam lanceiros
Ferir a minh’alma que busca um ninho.

Quando ao longe escuto uma melodia
Solfejada nas notas da poesia
Minhas rosas começam a bailar

Com a leveza de uma bailarina.
Alegre, volto ao tempo de menina
Ah! Solto a voz e começo a cantar.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 12/01/2011