domingo, 27 de setembro de 2015

O MENDIGO E O CÃO





Na vida real, de perto me deparei
Com outra realidade da sociedade
Daqueles que vivem nas ruas, sem teto!
A tristeza bateu quando observei
Que mendigavam a fraternidade

Meu coração explodiu de emoção
Quando um deles ao receber o pão
Tinha ao seu lado um cão vira-lata
Falou com sentimento verdadeiro
“Meu melhor amigo”! Seu escudeiro!

Humanos excluídos da sociedade
Trazem todos consigo sua história
Esperam somente a sombra da noite
Com a solidão seguem sua trajetória
A mercê da nossa sensibilidade.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 27/09/2015

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

TERNURA





O amor é como as raízes do bambu
Profundo com seu poder imanente
Suporta com humildade o vendaval
Com paciência cresce verticalmente
Sua energia é de uma essência divinal.

O amor está na nossa semeadura
Se soubermos escolher boas sementes

Para que no momento da colheita
Possamos colher bons frutos somente
Usando as benditas mãos com bravura.

O amor é o clarim para despertarmos
Deixemos a nossa candeia clarear
A escuridão dos que vivem na noite
Com ternura vamos amenizar
A solidão que vem com seus açoites.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 24/09/2015

domingo, 20 de setembro de 2015

SETEMBRO PRIMAVERIL




Chega a nova estação com ar primaveril
Flores formam caramanchões sobre as sacadas
Momentos que exalam um aroma sutil
Espalhando a essência da nova florada.

Borboletas fazem festa por sobre as flores
Agradecem a Natureza por se doar
São seres alados tão belos em suas cores.
Beijam as pétalas e continuam a voar.
 
No calor da ternura reverencio a primavera
Numa busca constante, sou sonho, sou poesia
Entoo com alegria, canções de uma bela era
Ouvindo os pássaros na alvorada de cada dia.

Nas asas da esperança sigo meu caminho
Os meus olhos vislumbram brancas margaridas
Que saúdam as manhãs de setembro com carinho
Bate em mim a saudade das lembranças vividas.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 20/09/2015

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

CUMPLICIDADE





A mãe amamenta seu rebento
Com o leite que sai naturalmente
Essência da intimidade materna
Com amor doa tão rico alimento
Que jorra tal qual o rio na nascente.

Aconchego com cumplicidade
Olho no olho com doce ternura
Da entrega do carinho e do amor
Ah, não existe maior felicidade
Que ter nos braços um Ser de candura.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 03/09/2015


 Amamentação - Um ato de amor entre mãe e filho.
Pequeno poema para a 78ª Ciranda da Confraria de Artistas e Poetas pela Paz – CAPPAZ.