domingo, 20 de janeiro de 2008

NATUREZA


Olhando o céu ao anoitecer
Sinto a bondade do Pai Maior
A paz invadindo meu ser
Em um verdadeiro esplendor.

A Natureza toda canta
Distribuindo lições de amor
No seu seio divino acalanta
Todos com infinito ardor.

Os pássaros livres cantam
Saltitando de galho em galho
As belas sinfonias alegram
O velho frondoso carvalho.

A árvore brota silenciosa
Doando-se desde a raiz ao fruto
Ao viajor serve generosa
Sua sombra para seu desfruto.

Amemos a Natureza
Fonte de vida e calor
Mantendo sempre a beleza
Evitaremos muita dor!


João Pessoa, 20/01/08
Neneca Barbosa

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

AMOR

Amor é sentimento
Que brota no coração
Leva sempre ao crescimento
O espírito em evolução.

Mas é preciso regá-lo
Para frondoso crescer
E feliz espalhá-lo
Assim que florescer.

O amor é chama ardente
Que envolve o nosso ser
Em sua água transparente
Bebemos até ascender.

Apenas conserva o amor
Aquele que o deixa fluir
Esquecendo-se da dor
Que na alma existir.


João Pessoa, 14/01/08
Neneca Barbosa

POESIA


Poesia é inspiração
Nascida em nossa alma
Nas asas da imaginação
Beleza que nos acalma.

Sentimentos escondidos
Vão logo desabrochando
Em versos definidos
A alma enfeitiçando.

Faz em nosso coração
Uma verdadeira alquimia
Fluindo a emoção
Sentindo muita alegria.

João Pessoa, 14/01/08
Neneca Barbosa

domingo, 6 de janeiro de 2008

MAR



Olhando a beleza do mar
Suas ondas a balançar
Ao longe consigo enxergar
Um veleiro a tremular.

Na proa seu timoneiro
Firme, forte, confiante
Sentindo-se altaneiro
Em sua viagem brilhante.

Seguindo sua direção
Ele consegue chegar
No coração a emoção
Feliz podendo atracar.



João Pessoa, 06/01/08
Neneca Barbosa

NOSSO AMOR



Nascido de um belo olhar
Numa noite de verão
Sua vida à minha encontrar
Desabrochou uma paixão.

Foi testemunha o luar
Desse amor que floresceu
Vivendo a compartilhar
Da chama que se acendeu.

O sol com seu brilho ardente
Nos dava luz e calor
Unindo-nos mais conscientes
Em nosso ninho de amor.

E quando a noite chegava
O céu enfeitado de estrelas
A brisa nos acalentava
Com sua beleza singela.

Abraçadinhos ficávamos
Agradecidos ao Criador
Abençoados estávamos
Para viver esse amor.


João Pessoa, 05/01/2008
Neneca Barbosa

sábado, 5 de janeiro de 2008

VOAR



O ser liberto, voa
Livre como um pássaro
Sem amarras
Sem prisões
Sem preconceitos
Sem apegos
Tem o céu como limite
Na vasta imensidão
Consegue desvendar
Os mistérios do coração.


João Pessoa, 05/01/08
Neneca Barbosa

TEMPO



O tempo passa
Veloz como o vento
Buscando procuro
Minha essência.

Mergulho bem fundo
No meu coração
Procuro...procuro...
Não acho solução

E nessa procura
Preciso encontrar
A chama divina
Que habita em mim.

João Pessoa, 05/01/08
Neneca Barbosa

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

POETRIX


Limites

Uso limites
Diante das emoções
Obedecendo ao coração

Luz

A luz interna
É chama ardente
Que eleva a alma


Silêncio

No silêncio interior
O homem compreende
Seu próprio ser

Fonte

O viajor sedento
Encontra fonte jorrando
Matando sua sede


Música

A música é luz
Harmonia e paz
Que acalma


Amor

Quando o amor flui
Preenche o coração
Vazio e frágil


Jornada

Nessa jornada
Vou fazendo poesia
Para alegrar a alma


Felicidade

No ser desperto
Felicidade
É conquista interior


Natal

Jesus menino
Nasceu em Belém
Para o mundo amar


Pérola

No fundo do coração
Vive meu amado
Como pérola


Túnel

Caminhando firme
Encontrarás a luz
No fim do túnel


Poesia

Poesia é beleza
Instalando-se
Na profundeza da alma


Saudade

Saudade é presente
Dos que fizeram feliz
O caminhar


Estrelas

Estrelas cintilam no céu
Mensageiras do amor
Que nos une

Neneca Barbosa
João Pessoa,05/01/08

HAI KAIS



A lua no céu nasce
Com sua cor prateada brilha
Por cima das ondas.


Tão furioso o mar
Com suas ondas espumantes
A areia fina beija.


Flor de lótus é
De uma beleza esplêndida
Enfeitando a natureza


A abelha trabalha
Tirando o néctar da flor
Feliz doa mel.


A chuva cai forte
Vai molhando a terra seca
Com suas rachaduras


O sol escaldante
Nasce todas as manhãs
Com intensidade.


Fitando o céu claro
Vejo uma bela gaivota
Num vôo admirável.


Estrelas no céu
São cintilantes pontinhos
Que enfeitam a noite.


Lua bela no céu
Fascinante com seu olhar
Desperta meus sonhos.


A estrela no céu
Despertou num grão de areia
Um sonho de amor.
Neneca Barbosa
João Pessoa, 12/12/07

VIAJOR

Como viajor sedento
Pelo deserto caminhei
Com um sol causticante
Tristemente, me deparei.

Passo a passo senti
Meu corpo desfalecendo
Quando ao longe avistei
Um oásis à minha frente.

Pensei ser uma miragem
E quando mais perto cheguei
Encontrei água jorrando
E minha sede matei.

Foi aí que descobri
Que no deserto da Vida
Iremos sempre encontrar
Um oásis em seguida.

João Pessoa, 02/01/08
Neneca Barbosa

BORBOLETA


Queria ser uma borboleta
Pelos ares a voar
Pousando aqui e acolá
Num lindo roseiral
Sentindo o cheiro das rosas
Inebriando o meu Ser.
Procurando em uma delas
Afagar-me com prazer.


João Pessoa, 20/12/07

Neneca Barbosa

CONTEMPLAÇÂO


Da janela do meu quarto
Contemplava a imensidão
Estrelas sempre piscando
Reverenciei a criação.

A brisa chegou de mansinho
Meu rosto acariciou
Fechei os olhos e senti
Quando ela me beijou.

E ali por alguns momentos
Fiz uma reflexão!
Agradeci ao Senhor dos mundos
Em forma de gratidão!


João Pessoa, 18/12/07

Neneca Barbosa

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

INFÂNCIA


Nasci lá no sertão
No sítio Jenipapeiro
Torrão muito querido
De belezas mil!
Lá vivi minha infância
Cercada de muito amor
Livre, saia correndo,
Sentindo o frescor do vento
Batendo em minha face
E me trazendo alento.


João Pessoa, 15/12/07
Neneca Barbosa

INVERNADA


A chuva cai abundante
Prometendo boa invernada
Sentindo o cheiro do mato
E também da terra molhada
A natureza em festa está
Pássaros cantarolando
Saltitando de galho em galho
Tudo parece alegria
Numa linda alvorada.


João Pessoa, 15/12/07
Neneca Barbosa

A CHEGADA DA NOITE



A noite chega
e com ela o orvalho
molhando a relva
macia e aveludada.
Servindo de tapete
para meus sonhos!

João Pessoa, 14/12/07
Neneca Barbosa

PÁSSAROS



Pássaros cantam
Fazendo seus ninhos.
Na frondosa palmeira.
São doces melodias
Enchendo minha alma
De prazer e alegria.

João Pessoa, 12/12/07
Neneca Barbosa

ALVORECER



O sol nasce brilhando
Aquecendo-me da noite fria
Num lindo alvorecer.
O vento sopra bem forte
Entre vales e serranias.
Correndo busco alcançar
Borboletas a voarem
Sob o céu azul, da cor de anil.


João Pessoa, 10/12/07
Neneca Barbosa

SAUDADE


Saudade é coisa sentida
Trazendo recordação
De uma infância bem vivida
Na alma muita emoção
Que vibra por toda vida
Alegrando o coração.

Neneca Barbosa
João Pessoa,06/12/2007