sábado, 28 de fevereiro de 2009

FLOR DA CRIAÇÃO


Mulher! Flor mimosa da Criação
O céu feliz te reverencia
E também teu ser acaricia
Pela beleza do coração.

Cultivas os nobres sentimentos
Gerados sob as luzes do amor
Segues confiante no teu labor
Libertando-te dos teus tormentos.

Despertas todos os teus valores
Adormecidos dentro da tua alma
São preciosidades que te acalma
Enfeitando teu jardim com flores.

Mulher! De ímpar sensibilidade
Que no teu ventre gera outro ser
Farol divino que vê crescer
Na célula mater da sociedade.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 28/02/09

SILÊNCIO



No silêncio, minha alma se desnuda
Aquietando meu mundo interior
E uma nova paisagem me saúda.

Descubro que é a ligação pro amor
Por estar cheio de sabedoria
A solidão consigo transpor.

Calando-me, entro em sintonia
Compreendendo meu irmão de jornada
Ao Pai bendigo com alegria!

Neneca Barbosa
João Pessoa,28/02/09

domingo, 15 de fevereiro de 2009

DIVINO PASTOR



Oh! Senhor, que aquietas meu ser
Vós que sois o divino pastor
Na vossa fonte quero beber
Onde continuarei meu labor.

Ser vigilante da minha vida
Apascentar os meus pensamentos
Sorver da luz do conhecimento
Na sabedoria ser acolhida.

Caminhar na direção da luz
Como peregrino da esperança
O amor é canção que me conduz
Pela estrada buscando mudanças.

Nas águas calmas vou navegar
Construindo novos sentimentos
Evitando todos os lamentos
Para meu barco não naufragar.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 15/02/09

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

PEDRAS NO CAMINHO


Homenagem à Cora Coralina

A Mestra, Cora Coralina
Encontrou pedras no caminho
O espírito de heroína
Fez conviver com os espinhos.

De penúria foi sua infância
Muitas vezes incompreendida
Batalhou até sua última instância
Pelos céus foi sempre assistida.

Seus versos de sabedoria
Retratam a beleza da alma
Escreve com muita maestria
Lê-los faz bem e nos acalma.

As maravilhosas lições
Deixadas pelo seu legado
Perpetuaram nos corações
Dos irmãos por ela amados.

Seu jeito livre de escrever
Da profunda preocupação
Pelo social e pelo ser
Era sua maior motivação.

Aninha, agora resplandece
Noutra dimensão estelar
E a literatura enriquece
Com as pérolas a abraçar.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 13/02/09

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

LÁGRIMA



A lágrima tem seus matizes
Expressam várias emoções
No coração tem as raízes
Umas tristes, outras felizes
Cada uma com suas razões.

A lágrima, gota brilhante
De âmbar, sente o perfume
Exprime a luz bruxuleante
Da alma teu canto sibilante
Incandescente como lume.

A lágrima rola dos olhos
Como pérolas do teu Ser
Cuidando sempre dos abrolhos
Ultrapassando teus escolhos
Para uma vida feliz ter.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 09/02/09

domingo, 8 de fevereiro de 2009

PALAVRAS



Palavras soltas ao vento
São penas a esvoaçar
Não tendo discernimento
Um grande estrago fará.

São forças do pensamento
Que nutrem as emoções
Trabalham os sentimentos
Dando-nos grandes lições.

Pronunciadas com amor
Brotam as belas sementes
No coração buscador
São verdadeiros presentes.

As palavras têm magia
Enriquecendo nossa alma
É a linguagem da poesia
Conduzindo-nos a calma.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 08/02/09

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

CANTO DE PAZ



Meu peito grita por um canto
Da singela paz almejada
Na terra fiz minha morada
Pra ser feliz neste recanto.

Entre sombras é a estrela guia
Sol de esperança que me aquece
Ao Senhor elevo uma prece
Em frente sigo a romaria.

Sementes preciso plantar
De perdão, de fraternidade
Amor e solidariedade
Na certeza que irão brotar.

Buscar a força da união
Lutando com muito fervor
Sentindo o humano calor
Na construção da paz então.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 07/02/09

domingo, 1 de fevereiro de 2009

BELEZA DAS ROSAS



Entre espinhos nascem as rosas
Com belas pétalas cheirosas
Ornamentando a Natureza
Com seus enigmas de beleza.

Envolvem-me com seus perfumes
Acalentam os meus queixumes
Num grandioso balé de cores
Enamorando os beija-flores.

As rosas trazem alegria
Na singeleza da poesia
Envolvendo meu coração
Em verdadeira sedução.

Reverenciam o raiar do sol
Lume do céu como farol
Alimentam meu versejar
Com carícias a me beijar.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 01/02/09