quinta-feira, 28 de abril de 2016

AMAR É DESCOBRIR-SE!





O amor é real e pulsa cá dentro do meu peito
Ninguém poderá fazer esse sonho mudar
Ele é como um rio calmo que corre sobre o leito
E nas profundezas da alma desejo guardar.

Nela habita tantas emoções incontidas
Que gravitam no ar como gotículas de orvalho
Misteriosas, mas que não se deixam ser vencidas
São fortes tal como as raízes de um velho carvalho.

O amor transforma meu Ser em algo radiante
Como a fênix, das minhas cinzas quero renascer
Ouvir de uma bela música o tom mais vibrante
Para que minha chama não venha a fenecer.

Ah, o amor não é palpável, transcende, é poesia!
Quero descobrir a beleza de cada momento
Abrir meu coração e viver em harmonia
Na face rolar lágrimas de contentamento.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 27/04/2016

segunda-feira, 25 de abril de 2016

OS MISTÉRIOS DA NOITE - PENSAMENTO VIII


A noite cai, com seus mistérios! Inspira, fascina e leva os seres humanos a procurarem o aconchego, que ora, encontram num regaço querido, outras vezes saem sem rumo. Mas, podemos esperá-la ao som de uma boa música.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 24/04/2016

AMAR SEM GRILHÕES - PENSAMENTO VII


Amar com liberdade, sem grilhões e amarras, é um ato de coragem! É lançar a âncora nas águas profundas do coração e deixar vir à tona as pérolas que lá se encontram.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 22/04/2016

O SILÊNCIO - PENSAMENTO VI


O silêncio é o companheiro da nossa alma!
Olhar o brilho das estrelas leva-nos a querer entender a nós mesmos.
É desejar voar, enfrentando o medo do desconhecido, nas noites escuras.
É não cessar a jornada, arriscando, trabalhando e reabastecendo para continuar. É dar-se por Amor!

Neneca Barbosa
João Pessoa, 22/04/2916

quarta-feira, 6 de abril de 2016

VOO RASANTE


Sou como uma gaivota com seu vôo rasante
Que exercita planar por sobre o grande mar
Buscar sem limites com meu espírito errante
Descobrir o amor e mais alto poder voar.

Romper grilhões e conseguir a liberdade
Sem medos, lágrimas, só amor no coração
Ser um pássaro livre e lutar com a saudade
Que invade meu peito nas asas da emoção.

Quero cantar a suave melodia do vento
Correr livre no bosque, amar e ser amada
Sentir a beleza da vida e seu acalento
Embriagar-me de prazer e ouvir a passarada.

É na arte da poesia que a imaginação voa
Procurando desvendar os mistérios da alma
É no brilho do luar, que no meu Ser povoa
As mais belas imagens a me darem calma.

A vida é uma roda que gira sem parar
Com meu voo rasante sobrevoo sobre as flores
Na esperança de um novo sonho conquistar
Tão belo quanto o arco-íris de múltiplas cores.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 06/ 04/2016