quinta-feira, 28 de abril de 2016

AMAR É DESCOBRIR-SE!





O amor é real e pulsa cá dentro do meu peito
Ninguém poderá fazer esse sonho mudar
Ele é como um rio calmo que corre sobre o leito
E nas profundezas da alma desejo guardar.

Nela habita tantas emoções incontidas
Que gravitam no ar como gotículas de orvalho
Misteriosas, mas que não se deixam ser vencidas
São fortes tal como as raízes de um velho carvalho.

O amor transforma meu Ser em algo radiante
Como a fênix, das minhas cinzas quero renascer
Ouvir de uma bela música o tom mais vibrante
Para que minha chama não venha a fenecer.

Ah, o amor não é palpável, transcende, é poesia!
Quero descobrir a beleza de cada momento
Abrir meu coração e viver em harmonia
Na face rolar lágrimas de contentamento.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 27/04/2016

Nenhum comentário: