sábado, 23 de julho de 2016

A MAGIA DA LUA






Lua prateada que aparece no céu
Enche-nos com teu brilho, tua magia
Deixa teu corpo nu, tira-te o véu
Deslumbra-te com beleza e energia

Oh, Lua! Tu és dos poetas a inspiração
Flutuas com teus beijos por sobre o mar
Dos enamorados tu és sedução
Vem com teu esplendor nos enlaçar.

Lua, lua! És também do poeta sua amante
Teu amor pelo sol retrata a realidade
Dos que se amam de forma delirante
E vivem sem se unirem de verdade.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 22/07/2016

CREPÚSCULO


Lágrimas por sobre a relva vão escorrendo
Silenciosas deixam meu Ser fragilizado
O véu da noite se estende no céu estrelado
Sinto que meus sonhos não estão morrendo.

As estrelas brilham e falam de poesia
Quero ser livre e não pássaro aprisionado
Não temer o rochedo que será alcançado
E poder cantar uma bela melodia.

Pelo campo verde caminho até a fonte
Para banhar minha face ao nascer do sol
Imagens avermelhadas no arrebol
Deixam um belo cenário no horizonte.

Ah, o farfalhar da aragem trazida do monte
Levou minha alma ao deslumbre e ao devaneio
Buscar o amor será sempre o meu esteio
Na esperança de ser entre os homens uma ponte.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 17/07/2016

terça-feira, 5 de julho de 2016

AMOR E SONHOS





O som calmo da chuva chega sussurrando
Palavras doces que suavizam meu coração
Incentiva-me para prosseguir sonhando
Por um mundo melhor, sem guerra, sem ilusão.

Quero caminhar acreditando no amor
Pegar uma estrela com a concha da mão
Sentir o seu brilho no meu interior
Deixar correr livre minha imaginação.

Quero saciar a sede com água cristalina
Que jorra da fonte como o néctar da flor
Sentir no meu corpo os pingos da neblina
Eximindo as mazelas oriundas da dor.

Nas notas do amor está a melodia do vento
Que oscula meu rosto em forma de poesia
Penetra no Ser como sutil alimento
Aconchegando minha alma com paz e alegria.

Ah, os sonhos! Estes dão sentido à vida
Levam-me também a recordar o passado
Dos momentos bons e da saudade sentida
Daqueles sonhos que não foram realizados.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 05/07/2016