sábado, 30 de abril de 2011

O SERTANEJO



O sertanejo vai desbravando
Com muita coragem o sertão
Pelas suas trilhas segue cantando
Montado faceiro em seu alazão.

A caatinga é também sua morada
Conhece bem aquele torrão
Onde seguro campeia a boiada
Protegido pelo seu gibão.

De uma popular sabedoria
No Criador deposita confiança
Os raios do sol fazem companhia
No coração cultiva a esperança.

É forte como o mandacaru
Que resiste a seca com bravura
É destemido como um bambu
Carrega n' alma grande ternura.

Encontra desafios no caminho
Que supera por ser lutador
À noite volta pra seu ranchinho
Construído com carinho e amor.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 30/04/2011

sexta-feira, 29 de abril de 2011

O PERFUME DO SEU AMOR


Dos versos deste poema fiz uma canção
Sonoras notas tocaram meu coração
Minh' alma foi tomada por fugaz torpor
Pressenti no ar, sutil perfume do seu amor.

Ele é como o florescer de uma bela flor
Que vem banhada pelo sol com seu vigor
É a luz das estrelas a guiar o meu caminho
É a cândida ternura que afaga meu ninho.

Seu perfume me embala com a voz do vento
Inebria meu corpo servindo de acalento
Ao fechar os olhos sinto-me acariciada
Tal qual a areia, que pelas ondas é beijada.

Seu frescor tem doce fragrância da magia
Culminando com a beleza da poesia
Do orvalho são gotículas a me envolver
Nas encantadas manhãs que vejo nascer.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 29/04/2011

sábado, 9 de abril de 2011

ACRÓSTICO - CAROLINA (NETA)



C riança especial que
A ma e é amada
R evela no olhar
O amor que lhe envolve
L uz terna de uma estrela
I manta todos com seu sorriso
N ão sendo preciso as palavras
A nte a fortaleza de uma guerreira.

Vovó Neneca Barbosa
30//11/08

ACRÓSTICO - MILENA (NETA)



MILENA

M ilena nasceu
I rradiando amor
L uz que acendeu
E manando calor
N o seu lar vai florescer
A flor que veremos crescer.

Vovó Neneca Barbosa
Recife, 04/04/2011