sábado, 22 de agosto de 2009

OUTONO


A árvore com seu porte magistral
Trazendo consigo bela ramagem
Esvoaçando a beleza da folhagem.
Quando chega a estação outonal.

Despedem-se as folhas amareladas
Formando-se no chão belo tapete
Do vento se tornam simples joguete
Aguardando as primeiras enxurradas.

É outono! Transforma toda paisagem
Na natureza há renovação
Exemplo também para o coração
Que precisa urgente de reciclagem.

A variedade dos ciclos da Vida
Faz do homem um ser muito especial
Por ser da pura essência divinal
Lutando a cada nova investida.

Neneca Barbosa
João Pessoa,22/08/09

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

ÊXTASE NO AMOR


Naveguei nas águas calmas do ser
Encontrei no amor a sabedoria
Renasci das espumas do saber
Contida numa bela sinfonia.

Num porto seguro o barco aportei
No rosto o sopro da brisa do vento
Peguei a âncora e no mar joguei
Absorta fiquei naquele momento.

Com teu beijo cálido despertei
Sentindo pulsar forte o coração
Pra matar a saudade te abracei.

E sob a luz do encantador luar
Senti uma verdadeira emoção
Em êxtase comecei a flutuar.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 21/08/09

domingo, 16 de agosto de 2009

NAS ASAS DO TEMPO


O tempo passa fugaz como o vento
Em suas asas procuro minha essência
Não desisto, este é o meu maior intento
Mergulho bem fundo na consciência.

O tempo é sempre senhor da razão
Mas não pode mudar no ser o amor
Seguindo o compasso do coração
Que floresce a cada dia com fulgor.

Na intensidade da vida interior
Aprimoram-se os belos sentimentos
Que vão desabrochando com ardor.

E no percurso que o tempo demarca
Quero transformar os meus pensamentos
Navegar no mar calmo em minha barca.

Neneca Barbosa
João Pessoa,16/08/09

TEMPESTADE


Céu escuro, nuvens carregadas
Raios, trovões, forte claridade
Vão rasgando da noite o véu
Anunciando uma tempestade
Labaredas em escarcéu.

O vento com assobio forte
Como a cantar uma canção
Afasta pra longe os fantasmas
Numa verdadeira missão
Varrendo todos os miasmas.

A chuva com vitalidade
Faz brotar na terra a semente
Sendo renovada a esperança
Da Humanidade carente
De muito amor e segurança.

São as forças da Natureza
Regidas pela lei divina
Deixando preciosas lições
De humildade e disciplina
Não fugindo das expiações.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 16/08/09

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

SONHOS DE INFÂNCIA


Cresci, mas fui pequenina
Sapeca, mas doce menina
Sem conhecer nada da vida
A razão ainda adormecida.

Tinha sonhos e fantasias
E também muitas alegrias
O tempo não era relevante
Tudo parecia contagiante.

Vivia na beleza do lar
Respirava a pureza do ar
Colhia belas flores nos campos
E corria atrás dos pirilampos.

Uma época de singeleza
Da vida nenhuma certeza
O olhar de brilho cativante
Fazia-me viver cada instante.

Alegre, brincava, pulava
Com sonoridade cantava
Nas horas de birra que tinha
Gostava de ficar sozinha.

Esta menina vive em mim
Bordando sonhos em cetim
Colhendo os frutos no caminho
No ontem plantados com carinho.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 05/08/09

terça-feira, 4 de agosto de 2009

CANÇÃO DE NINAR



Vem meu meigo menino, vem meu amor
Vou embalar-te numa suave canção
Velar teu sono junto ao coração
Envolver-te em meus braços com calor.

Quero sonhar juntamente contigo
Acreditar num mundo mais humano
Cada um com direito ao grande oceano
Viver com dignidade e ter abrigo.

Vem meu menino, quero te ninar
Alertar-te dos perigos da vida
Ensinar-te um belo ofício na lida
Ter esperança no teu caminhar.

Quero ver nos teus olhos doce brilho
De poder um dia contar tua história
Superando os desafios com vitória
E no amor não encontrar empecilho.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 04/08/09

PAI! SAUDADES...


A saudade bateu no meu peito
Quando me encontrava ainda no leito
Recordando o bom tempo de criança
Pai, você me dava segurança.

Nos seus braços me aconchegava
Na certeza que a paz encontrava
Pulsava forte meu coração
Que felicidade! Que emoção!

Severo quando era necessário
Disciplinando seu relicário
Era de grande afetividade
Também de muita sinceridade.

Lembro daquelas manhãs formosas
No pensamento imagens saudosas
Beber leite puro no curral
Escutando o canto do pardal.

Saudade do lindo carneirinho
Que conseguiu deixar bem mansinho
Servindo pra minha montaria
No pátio andava com alegria.

Quantas lembranças querido Pai
Nestes momentos a mente abstrai
Seu rico legado permanece
O amor que dedicou não adormece.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 04/08/09

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

SER COMO ÁGUIA


Sonho com a liberdade
Em romper com os grilhões
Do mundo das ilusões
Viver com intensidade.

Traçar novo horizonte
Enfrentar a tempestade
Na manhã a claridade
Saciar a sede na fonte.

Correr atrás dos meus sonhos
Alçar vôos até as alturas
Ter a vida de venturas
No coração ares risonhos.

Enfrentar os desafios
Até aos picos das montanhas
Ser águia nas suas façanhas
Com os seus gestos bravios.

Voar dentro da evolução
Nos caminhos da esperança
Das escolhas e mudanças
Singrando pra a perfeição.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 03/08/09

sábado, 1 de agosto de 2009

BALÉ DAS BORBOLETAS


Abro a janela e contemplo o jardim
Borboletas bailam por sobre as flores
Do fiel jardineiro são seus amores
Farfalhando suas asas num festim.

A beleza de suas cores me encanta
Deixando em suave êxtase minh’alma
Trazendo ao meu coração muita calma
Doce brisa do vento me acalanta.

Alçam vôos em busca da liberdade
Envolvo-me também em seus anseios
Levam mensagens quais pombos-correios
Juntas vão cantando a felicidade.

Saltitam, percorrem livres os ares
Voam à procura da essência do amor
Guerreiras aladas vencendo a dor
Sobrevoam céleres por sobre os mares.


Neneca Barbosa
João Pessoa, 01/08/09