domingo, 16 de agosto de 2009

NAS ASAS DO TEMPO


O tempo passa fugaz como o vento
Em suas asas procuro minha essência
Não desisto, este é o meu maior intento
Mergulho bem fundo na consciência.

O tempo é sempre senhor da razão
Mas não pode mudar no ser o amor
Seguindo o compasso do coração
Que floresce a cada dia com fulgor.

Na intensidade da vida interior
Aprimoram-se os belos sentimentos
Que vão desabrochando com ardor.

E no percurso que o tempo demarca
Quero transformar os meus pensamentos
Navegar no mar calmo em minha barca.

Neneca Barbosa
João Pessoa,16/08/09

Um comentário:

Rubens POETA disse...

Voltar ao tempo é voltar a essência
voltar a essência é voltar ao encontro de sí mesmo,linda poesia
um abraço