quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

VIAJOR

Como viajor sedento
Pelo deserto caminhei
Com um sol causticante
Tristemente, me deparei.

Passo a passo senti
Meu corpo desfalecendo
Quando ao longe avistei
Um oásis à minha frente.

Pensei ser uma miragem
E quando mais perto cheguei
Encontrei água jorrando
E minha sede matei.

Foi aí que descobri
Que no deserto da Vida
Iremos sempre encontrar
Um oásis em seguida.

João Pessoa, 02/01/08
Neneca Barbosa

3 comentários:

Aninha disse...

Neneca este poema é lindo!!

Eu quero encontrar este oásis...

Ana

Normania disse...

Neneca,
Muitas vezes sentí-me assim, é uma procura, uma busca espiritual.
Encontro um refúgio na paz da fé, e na certeza que esse oásis exsite!
Adorei essa poesia!
Grande abraço!
Orgulho-me de ser sua amiga!

Clea disse...

Neneca...lindos poemas.Parabéns por esse dom divino.
Adoro poesias...
Um grande abraço
Cléa
10/01/2008