segunda-feira, 29 de outubro de 2012

TOADA DE BOIADEIRO




Quando o sol surge no horizonte desperto
Lá fora trinam as aves em revoadas
Ao longe ouço o som contagiante das toadas
Guiado pelo vento, chegando mais perto.

É a cantiga do corajoso boiadeiro
Que tange a boiada levando ao seu destino
Sai pela estrada tal qual um peregrino
Enfrentando os desafios como um guerreiro.

Nas noites ardentes sua viola dedilha
Sonoras notas pra matar a saudade
Da amada que lhe espera com ansiedade
Para ouvir seus versos de amor em sextilha.

O resplendor do luar lhe faz companhia
Sua voz é envolvida por suave magia
Das estrelas que brilham com harmonia
Dando-lhe esperança pra sua travessia.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 29/10/2012

2 comentários:

Poetisa da Paz disse...

Um poema divino exaltando o nosso povo sertanejo!
Um abração minha amiga do coração!

Bjs saudosos!

Paola Vannucci disse...

Um belo hino aos boiadeiros minha querida

grande beijo