sexta-feira, 1 de outubro de 2010

ABRINDO A PORTA


Abri a porta para um velho andarilho
Cansado pelas procelas da vida
No rosto já não se via mais brilho
Queimado do sol, pedindo guarida.

Senti grande emoção naquele instante
De poder estender a minha mão
No céu vi uma estrela flamejante
Dando boas vindas àquele irmão.

Compreendi que a vida é generosa
E que novas portas poderei abrir
O segredo é como o florir da rosa.

Revi belos sonhos de liberdade
Que nas asas da poesia vou construir
Com versos de amor e felicidade.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 01/10/2010

2 comentários:

Rubens disse...

Oi...Amiga parabéns pelo soneto,muito lindo adorei
obrigado pelo presente e um
beijo no coração

Oswaldo Antônio Begiato disse...

Caríssima Neneca,

Como é bom receber sua visita, mas melhor ainda é vir te visitar.
Como é delicado e cheio de cuidados teu blog.
E como as poesias são ternas, profundas.
Parabéns amiga.
Saudades. Pouco tenho vindo, porque o tempo me anda escasso.
Obrigado pela tua doce amizade.
bjos.w