terça-feira, 5 de maio de 2009

ALVORADA



Quando a chuva cai no sertão
Tudo transforma em alegria
Nos acordes da sinfonia
Alegrando meu coração

Com a chegada da alvorada
A manhã fica mais bonita
O vento a folhagem agita
Ouço o canto da passarada

O galo-campina é o primeiro
Com o seu trinar melodioso
Exuberante e tão garboso
Desfilando no abacateiro

Depois é a vez do bem-te-vi
Casaca de couro, concriz
O pintassilgo e a codorniz
O sabiá e a juriti

Lindas borboletas bailando
Por sobre as flores do jardim
Inicia-se um grão festim
Aos beija-flores encantando

As belezas do meu rincão
Pulsam forte dentro do peito
Sobre a grama verde me deito
Agradeço pela Criação


Neneca Barbosa
João Pessoa,05/05/09

Um comentário:

Rubens POETA disse...

Obrigado amiga por fazer-me lembrar
dos meus tempos de criança lá na
minha cidade do interior beijos