terça-feira, 21 de dezembro de 2010

CANTO DE AMOR DO POETA



Dedilhando seus versos numa lira
Suas emoções o poeta vai cantando
As vibrações de amor vão exalando
Da harmonia cósmica que lhe inspira.

Canta o poeta a magia da Natureza
Eclodindo no coração a ternura
Afastando do seu peito a amargura
Na alma resplandecendo sua beleza.

O poeta canta de manhã à noite
Alegrando as belas tardes fagueiras
Não temendo os ventos e seus açoites.

Seus versos são recheados de lirismo
Como pássaros voam sobre as palmeiras
Enfrenta cada aurora com heroísmo.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 21/12/2010

5 comentários:

dinaaciganinha disse...

Querida amiga Neneca,
Vim deixar meus votos de Boas Festas e Feliz Ano Novo.
Que em 2011 seja tudo melhor que ontem!

Bjs!

M@ria disse...

"Nós abriremos o livro. Suas páginas estão em branco. Nós vamos pôr palavras nele. O livro chama-se Oportunidade e seu primeiro capítulo é o Dia de ano novo."

(Edith Lovejoy Pierce)

Feliz 2011 prá voce e o seus!!
Paz e alegrias para todos...M@ria

Oswaldo Antônio Begiato disse...

Bom dia minha querida Neneca,

Como é bom receber sua visita e sua mensagem de otimismo no começo desse ano que promete ser bom pra todos nós. Que seja assim então. Um ano cheio de portas abertas e janelas encancaradas.
Obrigado.
E como é bom vir aqui e ver o seu trabalho feito com tanta seriedade e cuidado. Esse soneto expressa muito bem o que nós poetas tentamos fazer.
Parabéns.

bjos.w

Gleidson Melo disse...

Querida Neneca,
Que Deus abençoe a família. Parabéns pelo presente do Senhor em suas vidas.
Ainda, agora, em janeiro estou indo morar em Campo Grande / MS.
Certo que irei me inspirar, e muito, lá prás bandas do Pantanal.
Saudades.
Gleidson

Rubens disse...

Oi...Amiga belo soneto adorei como
sempre muito bem produzido um abraço e beijos em seu coração