sábado, 18 de dezembro de 2010

SONHO DE SER BAILARINA



Olhando a beleza da lua no céu
Reclinei a cabeça no travesseiro
Adormeci e me vi com um troféu
Um sonho que parecia verdadeiro.

Foi então que se abriram as cortinas
E as luzes do palco foram acesas
Lá estava uma linda bailarina
Transparecia na face uma leveza!

Quando a música começou a tocar
Seu corpo embalado pela emoção
Foi se desprendendo do chão a voar.

Arrancaram aplausos as piruetas
Enchendo de alegria seu coração
Acordei, vi apenas as borboletas.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 18/12/2010

2 comentários:

Mi.arcanjo disse...

Li o poema na ponta do pés!!!
lisonjeio de uma bailarina...

beijinhos

Rubens disse...

Na leveza da bailarina percebi a pureza da poetisa,um abraço