sábado, 18 de dezembro de 2010

SONHO DE UMA BAILARINA



Olhando a beleza da lua no céu
Reclinei a cabeça no travesseiro
Adormeci e me vi com um troféu
Um sonho que parecia verdadeiro.

Quanta alegria, ao abrirem as cortinas
As luzes no palco foram acesas
Lá estava uma bela bailarina
Que transparecia na face leveza!

Quando a música começou a tocar
Seu corpo embalado pela emoção
Foi se desprendendo do chão a voar.

Arrancaram aplausos as piruetas
Enchendo de alegria seu coração
Acordei, vi apenas as borboletas.

Neneca Barbosa
João Pessoa, 18/12/2010

2 comentários:

Mi.arcanjo disse...

Li o poema na ponta do pés!!!
lisonjeio de uma bailarina...

beijinhos

Rubens disse...

Na leveza da bailarina percebi a pureza da poetisa,um abraço